Bakasana – postura do corvo

Também chamada de postura do corvo ou do guindaste, a bakasana é uma das posições mais difíceis de fazer no Yoga.

Em todas as suas configurações, os joelhos devem ser apoiados nos antebraços e as mãos ficam abertas em apoio no chão. A dificuldade maior consiste em ter grande capacidade de força e flexibilidade, além de habilidade. Esta última somente é alcançada com a prática, e quanto mais praticar, mais facilmente será alcançá-la.

No Hatha Yoga, o yogue desenvolve características de disciplina, amor e perseverança. Por isso, a bakasana acaba por ser o grau máximo dessa dedicação. Aqueles que praticam o Yoga, eventualmente não conseguem fazer esta postura. Para ela, é preciso amadurecimento, preparo e coragem. Os riscos de quedas estão envolvidos na realização da postura do corvo, portanto, é necessário um estado de foco e atenção. O peso do corpo deve estar corretamente distribuído para não haver lesões.

Como fazer a bakasana

Para a realização da bakasana, toda a concentração de força e sustentação fica nos músculos abdominais e nas coxas. Ambos devem estar contraídos durante todos os movimentos. Já a posição do peito deve estar fechada, voltada para a linha medial do corpo, como uma concha. Assim, o corpo vai encontrar um novo centro de gravidade, sem atribuir excesso de peso para nenhum membro.

  • 1º Passo: erga a cabeça e pressione os cotovelos contra os joelhos, de modo que seu tórax fique bem aberto.
  • 2º Passo: olhe sempre para frente, durante toda a postura, se não fizer, é possível que perca o equilíbrio.
  • 3º Passo: apoie a palma das mãos no chão, deixe-as paralelas aos ombros ou um pouco mais afastadas. Assim, elas suportarão mais o peso.
  • 4º Passo: espalhe bem os dedos no chão. Eles são importantes para que seu corpo fique mais estável quando executar a postura.
  • 5º Passo: jogue o peso para frente e erga o osso do quadril. Este movimento é o mais difícil, por isso esteja concentrado.
  • 6º Passo: lentamente, leve o peso para as mãos e comece a erguer o quadril.
  • 7º Passo: ponha os joelhos sobre os tríceps.
  • 8º Passo: nunca realize o exercício de uma vez, pois pode cair e fazer lesões. Logo, erga um pé de cada vez, aproximando os joelhos dos tríceps. Jogue o peso do corpo sobre as mãos de maneira gradual, até que os pés levantem do chão.
  • 9º Passo: segure a postura do corvo por alguns segundos, por um ou dois ciclos de respiração lenta. Após, retorne devagar cada etapa, para que não haja impacto no corpo.

Benefícios

Dentre os benefícios para a prática da bakasana é possível citar:

  • Fortalecimento dos braços e pulsos;
  • Alongamento da parte superior e lombar das costas;
  • Aumento da tonicidade dos músculos abdominais;
  • Abertura dos músculos das virilhas;
  • Desenvolvimento do equilíbrio físico, emocional e mental;
  • Melhora potencialmente a concentração;
  • Ensina a lidar com o medo do futuro.

Contraindicações

A postura do corvo não é indicado para pessoas nas seguintes condições:

  • Gravidez;
  • Síndrome do Túnel do Carpo;
  • Cardiopatias diversas;
  • Hipertensão;
  • Glaucoma.

Se você gostou, não esqueça de avaliar o artigo

Avaliação: 5/5 (1 votos)
Por favor, ajude-nos a compartilhar esta página em suas redes sociais para que possamos alcançar mais pessoas que precisam de nossa ajuda nesses temas. Você só precisa clicar em um dos botões abaixo. Obrigado!

Participa, deixe seu comentário

Outros artigos

Shavasana – postura do cadáver

Pode parecer simples, mas a shavasana é uma das posturas mais poderosas do Yoga. Uma prática executada sempre aos finais dos exercícios, ela permite que se relaxe todo o corpo e a mente.

Paschimottanasana – postura da pinça

A postura da paschimottanasana é uma das mais comuns na prática do Yoga. Durante uma aula, ela é trabalhada repetidas vezes, portanto essencial. Mesmo com sua simplicidade de movimentos, ela desenvolve intensos acontecimentos para o corpo e para a mente.

Dhanurasana – postura da roda

A dhanurasana é uma postura do Yoga simples de realizar, além de altamente benéfica. Contudo, requer um pouquinho de experiência para praticá-la bem, mas nada que não seja aprendido em algumas semanas.